• FIM
  • R.I.P

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Por quem não esqueci

Hoje de manhã, no autocarro, enquanto se aguardava que o semáforo ficasse verde, para cumprir os cerca de cem metros que faltavam para chegar à paragem, um casal de velhotes decidiu aproveitar o facto de o autocarro estar parado para se levantarem dos seus lugares e chegarem perto da porta de saída. Não consegui ver o que ele fez, vi apenas que ela vinha a bramar com ele, rematando o seu desatino com a frase: “...que raio de vicio que tu tens, ainda hás-de largar esse vicio...” Acho sempre extraordinária esta capacidade que algumas pessoas têm de conseguir ter a esperança, de genuinamente acreditar que as pessoas mudam, mesmo, neste caso, tendo passado uma vida juntos. Não sei se é bom ou mau e provavelmente também nunca irei saber, mas eu sou uma dessas pessoas.

1 comentário:

Criatura Mistério disse...

Toda a gente tem defeitos. Todas as pessoas à nossa volta têm manias de que nós gostamos menos. O truque é encontrar aquela pessoa que nos faz ser capaz de aguentar com todas as suas manias mais irritantes.