• FIM
  • R.I.P

domingo, 21 de agosto de 2011

Estado de A.L.M.A.

Hoje desci à realidade
Um bocado contra a vontade
Mas por pouco tempo, espero eu

É sempre melhor viver na ilusão
Onde os dias nunca são em vão
E onde se escolhe sempre, o que de facto aconteceu

Aleija tanto a verdade
Quando se vive na realidade
Que não deixa nunca saudade
Quando se transita para o mundo da fantasia

Onde o dificil nunca é complicado
Onde nunca se magoa a pessoa do lado
Onde se decide, à vontade, o próprio fado
Sem arrependimento ou pecado, mesmo que nada tenha real significado

Vive-se constantemente numa ilusória alegria
Onde se viaja num carril do dia após dia
Em que as consequências dos actos praticados
Seguem, paralelas, através de uma ferrugenta via

Vismlumbrando, todavia, mesmo ali ao lado
Continuos e constantes apeadeiros da verdade
Onde a consequencia de actos de falsidade
O fado não poderá nunca permitir, que não sejam, sempre, considerados mentir

Hoje desci à realidade
Mesmo, mesmo, contra a vontade
Mas por pouco tempo, quero eu

É sempre melhor viver na ilusão
Onde, se a mim mesmo me estou a enganar, fôr a questão
Se escolhe sempre, o que de facto aconteceu.

Sem comentários: