• FIM
  • R.I.P

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

The cutter

- Achas possível deixar de gostar de algo?

- Deixar de gostar de algo? Como assim?

- Deixar de gostar de pizza, por exemplo, ou deixar de gostar de uma musica, ou de um sabor de gelado?

- Não. Acho que é possível ficar saturado, enjoado, mas não deixar de gostar...

- Então mas se ficas saturado, enjoado, cansado de uma determinada coisa, isso não é deixar de gostar?

- Não. É gostar de uma forma diferente. Tens a certeza absoluta que se comeres pataniscas todos os dias, até ficares farto, que depois de estares dez, vinte anos sem as comer, que não vais voltar a desfrutar de uma patanisca outra vez, talvez até com um gosto maior, devido à saudade que nem sequer sabias que sentias?

- Oh! Por essa ordem de ideias, não se deixa nunca de gostar de nada ou até mesmo de alguém...

- Sim, é verdade. Quando se gosta é para sempre, e quando não se gosta também é para sempre. Desde que se saiba o porquê de tal acontecer. O problema reside é no facto de saber o porquê de gostar, ou não, de algo ou de alguém... ... O pior mesmo, é quando se pensa que se gosta de algo, ou alguém e afinal isso não é verdade, e vice-versa...

- Porquê?

- Porque depois, como o ser humano é, é o cabo dos trabalhos para darem o braço a torcer. Só para tu veres bem a dimensão da coisa, há pessoas que comem mesmo figado e rins, e dizem que gostam e tudo...

Sem comentários: