• FIM
  • R.I.P

quarta-feira, 14 de julho de 2010

From the stars

No dia em que nos nasce o primeiro dente definitivo, ficamos a saber que chegámos a uma altura da nossa vida em que já não há nada a fazer, e que se partirmos um dente, nunca mais irá nascer outro. A alegria imensa que sentíamos, quando corríamos desalmadamente por um campo fora, sem ter medo de cair e partir um ou mais dentes, desaparece para sempre. Quem gozou da oportunidade de partir os dentes gozou, quem não gozou, a partir desse dia não irá gozar mais. A partir do dia em que temos o nosso primeiro dente definitivo, passamos, mesmo que inconscientemente, a andar e a correr de outra forma. A oficial e oficiosa transição para a idade adulta, acontece no dia em que nos apercebemos pela primeira vez das consequências terríveis que os erros que cometemos podem ter, ou tiveram. Esse dia tanto pode ser aos 15 anos, como aos 40, mas ele chega, e quando chega, tal como com os dentes definitivos, é preciso ter muito cuidado depois disso. A partir desse dia, apercebemo-nos também que as segundas chances terminaram.

1 comentário:

Anónimo disse...

Muito bom post.

Conseguiste, em poucas palavras (raro), sintetizar algo que mais tarde ou mais cedo acaba por se abater sobre nós.

"bom pah"