• FIM
  • R.I.P

terça-feira, 1 de junho de 2010

You owe us blood

É estranha e paradoxal
A contrição que é originada
Por tanta, tanta coisa
Que deixamos inacabada

Sem comentários: