• FIM
  • R.I.P

quarta-feira, 2 de junho de 2010

E no dia em que as aguias levantarem voo...

É quase noite. Sempre que a noite se aproxima, e as luzes débeis dos candeeiros de rua ganham entusiasmo, enquanto a calçada de basalto é assomada pela tonalidade pálida que a fraca iluminação proporciona, as persianas, cientes do risco latente que as envolve, uma a uma, cerram-se. É então que os ratos, que durante o dia permaneceram escondidos em silêncio nos seus pútridos covis, começam a espreitar, sorrateiros, aguardando pacientemente a oportunidade de poder atacar sem qualquer tipo de misericórdia ou piedade.

1 comentário:

Tindergirl disse...

AP este post é brutal!