• FIM
  • R.I.P

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Conversation16

...Detesto porque detesto andar de cacilheiro. Se eu morasse do outro lado hoje não vinha trabalhar de certeza absoluta. Quer-se dizer, se eu morasse do outro lado, se calhar não dizia isto. Sempre gostava de saber quem é que tinha coragem de dizer uma coisa destas se todos os dias tivesse de ir e vir pálmada! Isto até me faz lembrar aquela vez em que o Pires teve um granda Paio. Então não é que o gajo, depois de ter quebrado o barreiro e ter conquistado a cova da Piedade, sem o marido dela saber claro, conseguiu, mesmo à rasquinha, esconder-se atrás do laranjeiro, aquele ali perto da janela do quarto, assim que o homem dela chegou a casa de surpresa! Eu até percebo o Pires, afinal dizem, as más línguas, que o marido dela é maluquinho de corroios! Mas eu nunca cheguei a perceber porquê! Então mas agora um homem, só porque optou por ter a profissão de fogueteiro, e porque anda sempre com uma cruz de pau na mão, tem logo de ser apelidado de maluquinho? Que eu saiba, nunca o vi meter-se em sarilhos nenhuns, nem grandes, nem pequenos. Tal como nunca o vi escondido atrás da moita, como muitos que andam por aí, à espera só para fazer mal, ou pior, para espreitar as pessoas que vão fazer xixi à socapa...

1 comentário:

Tindergirl disse...

E nunca te metas com o Fernão, aquele que é de ferro :)