• FIM
  • R.I.P

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Raiva acumulada #4

Hoje, acordei com uma lágrima ao canto do olho! Passei a noite inteira a sonhar com o branco das tuas nádegas e com as estrias de crescimento ao fundo das tuas costas. Tenho saudades de passar com as minhas bochechas e lábios pelas tuas pernas e nádegas. Tenho saudades de ver a tua coluna vertebral e do arrepio nas costas que sinto só de pensar na tua pele. Tenho saudades do rosa suave dos teus delicados mamilos, do rosa carne do teu sexo e de ver o teu cabelo a cobrir-te a cara enquanto sentes prazer. Sinto falta de beijar o teu umbigo, de passar a minha língua pelas tuas virilhas e do teu riso maroto sempre que tocava nos dedos dos teus pés. Sinto falta dos teus dedos nas minhas costas enquanto eu punha o meu queixo nos teus ombros e beijava os teus lóbulos e o teu pescoço. Sinto saudades da tua respiração ofegante e do teu olhar descontraído, do teu sorriso contagiante e da tua felicidade inalcançável. Hoje, acordei com saudades de ti e de falar contigo depois de nos amarmos, de falar contigo sobre o meu e o teu dia, sobre o queres e o que desejas, sobre o meu desejo em ter-te 25 horas por dia, sobre a excitação com que fico só de olhar para ti e do facto de tu gostares de me ver assim. Sinto saudades da nossa cumplicidade, de olhar para ti e perceber que estás aflita para sair dali ou que estás contente e feliz, de olhar para ti e acabar de imediato com a tristeza que sentes só porque nós dois existimos e porque o nosso amor é infindável. Hoje, acordei com uma lágrima no olho, fiquei a olhar para o tecto horas sem fim...O nosso amor nunca existiu a não ser na minha cabeça e no meu corpo, não passaste de uma miragem e de um sonho que se esvaiu, mal o dia raiou...

- O que é isto? Que lamechice pegada é esta?

- É a carta que eu lhe escrevi!

- Foi esta merda que tu escreveste?! É esta porcaria que é a tua grande explosão de raiva?! É isto que tu querias dizer para expurgar os teus demónios e a tua ansiedade?! Bacano, ela está completamente a cagar-se para ti, o que é que tu queres mais?! Deixa de ser anormal e começa a viver a tua vida também?! O que é que tu pretendes com isto diz-me lá?

- És completamente imbecil é só o que te tenho a dizer! Deixa-me só lembrar-te que a grande ideia de eu lhe escrever uma carta a dizer tudo aquilo que eu sinto foi tua, nem sei como é que eu te fui ouvir! Tu é que me disseste que em vez de eu andar para aqui a acumular raiva, lhe devia dizer na cara ou então escrever-lhe uma carta a dizer tudo aquilo que sinto. Tu é que disseste que depois de lhe mandar a carta eu me ia sentir bem! E se queres que te diga, até me estava a sentir relativamente bem até tu teres lido a carta e teres dito o que disseste.

- O nome totó só existe desde que tu nasceste! Eu disse-te para escreveres uma carta para lhe dizeres aquilo que sentes, para não andares sempre a pensar que lhe devias ter dito isto ou aquilo ou que devias ter feito isto ou aqueloutro! Como é que é possível um gajo como tu achar mesmo que esta é a carta que se deve escrever para deixar de acumular raiva e começar de novo a viver? Mas tu és parvo ou comes merda às colheres? O que é que pretendes com esta merda desta carta? Anda, bora aí escrever uma carta como deve ser, eu ajudo-te.

- Eu já enviei a carta, isto é só uma cópia do texto para eu ficar com uma recordação da última carta que lhe escrevi.

- O QUÊ?! ESTÚPIDO ESTÚPIDO ESTÚPIDO ESTÚPIDO! Como é que tu foste fazer isso? Agora já não há nada a fazer! Ela vai passar o resto da vida a pensar que andou com o gajo mais maricas ao cimo da terra!

- Por que é que dizes isso? Eu depois de pensar mil vezes sobre o assunto, cheguei à conclusão que tu tinhas razão. Eu acho mesmo que ao dizer-lhe o que disse na carta, que ela vai saber o quanto eu gostei dela e ao mesmo tempo vai saber também, que eu sei que ela afinal não gostou de mim da mesma forma. No fundo, tenho a esperança que nós fiquemos a dar-nos bem e a falar um com o outro. Acho estúpido não falarmos hoje em dia, às vezes coisas assim duram a vida toda e às tantas já nem se sabe bem porquê, as pessoas inevitavelmente crescem, evoluem e ficam diferentes e as pessoas com quem nos zangámos não existem mais. É sempre bonito e bom sentir uma amizade como eu tive com ela, independentemente do rumo que a vida tomou, ou dos defeitos, ou qualidades, que todas as pessoas inevitavelmente têm. Duas pessoas que cresceram juntas, vão ter para toda a vida algo em comum, e eu só quero que ela saiba isso também e possamos falar como duas pessoas civilizadas sem as cenas e as parvoíces que houve no passado! Não achas?

- Não, não acho, tu nem sequer dizes mal dela, a culpa não foi só tua, tens de lhe mostrar isso também. Eu acho que assim vais ficar na mesma, daqui a uns tempos vais andar na mesma vais ver. Um gajo tem de dizer mal e chamar-lhes nomes, dizer que a culpa é toda delas e continuar com as outras todas que um gajo conseguir arranjar!. Quantas mais melhor é o que te digo...

- As pessoas só assumem a culpa dos seus actos se tiverem consciência disso. Ela pode passar a vida dela a mentir-me ou a arranjar desculpas para não falar comigo, mas se ela não tiver consciência disso, nem que eu lho diga um milhão de vezes ela vai acreditar em mim. Por isso não vale a pena. Eu, com esta carta, disse-lhe tudo o que sentia e descobri que, incrivelmente, tinhas razão. Sinto-me muito melhor! Já não me sinto tão ansioso nem com a tal raiva acumulada que tu falavas! Eu não vou ser mais estúpido e continuar a viver da forma que tenho vivido, já lhe disse o que sinto e sinto-me bem com isso. Se ela quiser continuar a ser estúpida o problema é dela. Quanto às outras todas, já sabes o que eu penso do teu modus vivendi!

- Mesmo assim, devias ter dito mal dela, devias ter feito a coisa doutra forma. E não comeces com a merda do latim que bazo já daqui...

- Eu sempre gostei de metáforas, ela sabe disso, sabe perfeitamente o que eu quero dizer com tudo o que ali está dito, além disso menciono as estrias dela...

- Tu é que sabes man. Eu acho que tu deves ser é panaleiro, é o que é, se bem que a carta tem um conteudozinho erótico. Muito leve, é certo, mas há ali uma certa pica. Já pensaste em escrever contos eróticos?

- Paneleiro?!!! O que é que isso tem a ver com a conversa? Por que é que tu tens sempre a necessidade de chamar nomes e de dizer montes de asneiras? Já pensaste em escrever uma carta para aliviar o stress e a raiva acumulada?

- Vai-te foder mas é pá! Essas merdas só se aplicam a paneleiros como tu e com o teu modus vivendi, como tu gostas tanto de dizer…

3 comentários:

Zigue Zague disse...

Mal comecei a ler o texto, lembrei-me logo desta música. Ora ouve:

http://www.youtube.com/watch?v=BNiokbPF1LA

AP disse...

Pronto, descobriste-me a fonte de inspiração! ;)

Anónimo disse...

Desculpe,
Mas não entendo como uma pessoa sensível como o senhor (depreendo isto pela carta e pelos seus comentários), se consegue dar bem com um daqueles homens machistas e formatados com uma educação tão baixa.
Espero não o ferir se você for verdadeiramente amigo do senhor (que a mim me parece um idiota)