• FIM
  • R.I.P

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Whiskey & Water

Tou fodido! Foi desta simpática forma que o Zé conseguiu sintetizar a embrulhada em que ele próprio se colocou! O Zé até um gajo fixe. Não deve muito à inteligência, é verdade, mas é amigo do seu amigo e uma pessoa com quem, inclusivamente, se pode contar para o que quer que seja, não obstante de ser daquele tipo de pessoa que acredita mesmo que fazendo uma chinfrineira desgraçada com a buzina do carro no meio de uma fila de trânsito com 10 km de extensão que a coisa começa por milagre a andar! Para azar do Zé, ainda por cima é um humano bem-parecido, facto que por natureza entra em contraste com a condição de monógamo que todo o ser humano automaticamente deveria entrar quando se decide casar! Jurando amor eterno, algo que eu acredito piamente que o Zé sinta, e fidelidade à sua recente companheira de casamento, o Zé decidiu brilhantemente disfarçar as suas pequenas facadas no casamento colocando nomes de amigos seus nos números de telefone das suas, vamos lá, "amigas" no telemóvel dele! Surpreendentemente, e ao contrário do que eu inicialmente pensei que ia acontecer, o esquema até resultou bem durante uns valentes 12 dias! Só que, claro, já se sabe como estas coisas das mentiras e das pernas curtas são não é verdade? Ao décimo terceiro dia, felizmente o Zé não é supersticioso, pelo menos nunca o ouvi atribuir nada ao azar, enquanto ele tomava banho, por uma razão que desconheço estas coisas acontecem sempre quando alguém está a tomar banho, o Zé recebeu uma mensagem de uma das suas amigas que se encontrava sedenta por um resto de tarde preenchido por feroz e voraz sexo, utilizando para demonstrar o seu desejo palavras e bonecos que até a mim me fizeram ruborizar quando o Zé me mostrou a mensagem! Ora quem é que haveria de ter lido a mensagem de um tal de Pedro quando o pequeno aparelho fez BIP BIP e dançava em cima da mesa da sala? Obviamente não é! Contou-me mais tarde o Zé que não conseguiu mesmo dizer nada quando a Esperança, nome da mulher dele, lhe perguntou porque é que ele não tinha sido sincero e lhe tinha contado tudo, coisa que tinha evitado o casamento e todo aquele constrangimento que agora se fazia sentir. Sempre com calma e com uma atitude moderada, para espanto de todos, confesso, a Esperança quis vincar muito bem a ideia de que gostaria de permanecer amiga dele, e quem sabe até confidente, uma vez que gosta muito dele, mas que não conseguiria continuar mesmo a viver com ele sabendo agora que ele é homossexual! Sem sequer ter proferido uma palavra, ficou assente que o Zé tinha um mês para sair de casa, ficando ao mesmo tempo tácito que o Zé para a Esperança é homossexual! Quando perguntei ao Zé por que razão não disse ele a verdade, ele disse-me que foi a única hipótese que vislumbrou para continuar, pelo menos, amigo dela! Ainda de acordo com ele, se ele tivesse dito a verdade ela teria ficado a odiá-lo! Assim, o plano era agora ir protelando a coisa de forma a fazer acreditar a Esperança, e a família dela, que afinal ele não é homossexual e que tudo não tinha passado de um pequeno devaneio, ou uma experiencia, como ele mesmo me disse! Como é que ele ia fazer isso? Não sei! Mas se isto tudo, para o Zé, ainda não era completamente absurdo, ele estava inclusivamente convicto que a coisa ia de facto resultar, ao fim de uma semana a Esperança, depois do jantar, virou-se para ele e disse-lhe que após ter pensado bastante, que gostava de conhecer o "namorado" dele, a pessoa que tinha enviado aquela mensagem! Por uma razão que ainda hoje o Zé desconhece, para a Esperança alguém que envia aquele tipo de mensagens só pode ser alguém que se entrega ao prazer carnal com um desejo, com uma ânsia e uma entrega tal que só pode mesmo merecer ser feliz por lutar pelos seus intentos!
Tás fodido! Foi a resposta que me ocorreu quando ele me contou isto tudo.

4 comentários:

joaninha versus escaravelho disse...

Homens... :/

Anónimo disse...

Fodeu se mesmo! É que nem consigo utilizar outra palavra para o que lhe aconteceu. Analana

AP disse...

Vamos lá ber se de facto assim é, Analana :)

Não sei se são só os homens Joaninha, acho que são as pessoas que têm uma tendência natural para estragar as coisas! Mas é só para que as coisas tenham mais graça ;)

joaninha versus escaravelho disse...

Aquele "Homens" era provocação. :P