• FIM
  • R.I.P

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Ajudem-me, Ó carneirada mole, levantem os cornos da Palha. Os vossos pastores, são os vossos carrascos e se fogem ao cão, têm o lobo à vossa espera...

A propósito da crise, chegamos a um ponto em que Portugal tem a quinta gasolina mais cara da UE (!), e Lisboa chega a ser mais cara que Londres (!), no que a bens de consumo se refere! Ora, eu não percebo nada de economia, mas como é que os senhores dos sectores, todos, podem andar sempre com queixumes e sempre a dizer que tem de haver mais consumo, se as pessoas não têm dinheiro e estão endividadas até à 5ª geração? Então mas não há por aí nenhum sector, ou até mesmo um comité qualquer, para pedir que os ordenados das pessoas sejam significativamente aumentados? Só os bens e serviços é que aumentam, ao ponto de, aí sim, estarmos entre os primeiros da UE? É que a mim parece-me que se as pessoas tiverem mais dinheiro, há, por consequência, mais consumo, mais consumo gera investimento, mais investimento gera emprego, e por aí adiante. E esta coisa de um dono de uma empresa, ou de um banco, bem como os respectivos accionistas, queixarem-se que o lucro decresceu não sei quantos pontos, e que em vez de terem não sei quantos milhões de lucro, vão só ter alguns milhões de lucro, enquanto a maioria das pessoas que trabalham para esses senhores têm ordenados de 450 Euros a recibos verdes, ou até mesmo, para aqueles que já vivem mesmo bem e acima da média, de 600 Euros por mês com contratos de trabalho precários, já não está, mesmo, com nada. Será mesmo só o lucro privado para meia dúzia de pessoas a única coisa que importa? E ninguém faz nada? Fica-se assim, impávido e sereno a assistir a isto e tudo enquanto se reclama do estado actual das coisas?

3 comentários:

joaninha versus escaravelho disse...

Enquanto as pessoas não perceberem o que é a anarquia, a sociedade capitalista vai imperar. E essa é a sociedade dos nossos dias, não só em Portugal mas generalizada aos outros países. Não se pode chamar democracia a esta política em que vivemos. Não nos esqueçamos que a "Crise" não se sente só em Portugal.
Deviam ensinar Noam Chomsky nas escolas em vez de Freud.

Tindergirl disse...

Já não existem conjuras ou homens sem medo...

joaninha versus escaravelho disse...

Tindergirl, temos que ser nós, as mulheres... :)