• FIM
  • R.I.P

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Complexos #18

Quase que me esquecia que já é sexta-feira outra vez! Hoje é dia de sair à noite! A semana correu tão rápido que nem dei conta, hoje de manhã, que hoje já é sexta-feira! Ainda nem sequer planeei a rambóia como deve ser para a noite ser de farra rija! Bem, mas também, depois do que aconteceu na semana passada, sinceramente já começa a ser complicado saber onde ir hoje.... Verdade seja dita. Se há coisa que sou grande apreciador, é de sair sexta-feira à noite. Só que, se fosse eu que mandasse, mandava retirar a possibilidade de os percalços, que nos últimos tempos me têm sucedido, voltarem a suceder. Obviamente que não foi nada que tivesse estragado a noite. Claro! O importante é uma pessoa divertir-se com aquilo que tem, sem dar lugar a lamúrias. E à grande. Já que é fim-de-semana. Mas sim, admito, os percalços, se calhar, acabam por atrapalhar uma noite que se deseja de puro divertimento para um pândego como eu. Bom, chega de devaneios. Deixa-me mas é lá ver então onde é que posso ir hoje... ... ... ... Epá, agora é que eu estou a ver que isto está mesmo cada vez mais difícil encontrar um sítio onde ainda não conheçam a minha cara! Não é que eu seja pessoa de criar problemas, só que em não me conhecendo talvez seja mais fácil deixarem-me entrar, não sei. Claro que não posso afirmar que nos sítios onde não me deixam entrar me conhecem. Nunca consegui entrar em lado nenhum que quisesse ter entrado, é sempre muito complicado por causa disto ou daquilo! Tenho cá para mim, que devo dar a impressão que sou uma pessoa muito bera, no alto do meu 1.60m! Deve ser isso...Bom, deixa lá ver, ali não, no outro dia espancaram-me porque eu não percebi que aquele gajo queria dar um golinho no meu copo de vodka, pensei que ele me queria roubar o copo! Às vezes consigo mesmo ser um totó, depois arranjo encrencas! Pois, ali também não dá, na semana passada estava mesmo convicto que era o dia em que conseguia ali entrar. Vesti-me tal qual o porteiro me disse para vestir, aguardei calmamente durante quarenta e três minutos na fila para entrar. Até decorei o que ele dizia à porta, "Senhoras não pagam, senhores pagam dez euros", ou então, "Entrada reservada a casais ou clientes habituais", e era com esta frase que eu ganhava ânimo. Já estive mais de cem vezes naquela porta, sou de certeza um cliente habitual, dizia eu para os meus botões. Estava mesmo quase a chegar a minha vez, quando reparei que à minha frente só estavam dois rapazes que namoravam um com o outro. Ainda cheguei a pensar que o porteiro ia embirrar com eles. Mas, surpreendentemente, quando chegou a vez deles, ele disse "Os senhores, pagam dez euros cada um", e lá entraram eles. Para se meter comigo, como de costume, ele assim que me viu barrou-me logo a entrada com o braço e deixou passar duas raparigas que entretanto tinham furado a fila e passado à frente de toda a gente. Aqui sim, admito que meti agua. Disse-lhe que elas tinham passado à frente de toda a gente e que isso não era justo para quem estava ali há imenso tempo na fila. Ele respondeu-me, e com razão, que quem sabia quem podia entrar e quem não podia entrar era ele. Como vi que ele ficou um bocado ressabiado com aquela situação, que burro que eu sou às vezes, decidi fazer uma piada. Estupidamente perguntei-lhe se agora com o casamento entre homossexuais, se um daqueles dois rapazes gays que tinham entrado não deveria ter entrado sem pagar, uma vez que eles eram um casal. Pronto, foi o bom e o bonito! Eu até lhe disse isto a mostrar que estava a brincar. Mas não, num ápice disse-me que enquanto ele fosse porteiro ali eu nunca entraria! Fui-me embora. Já o tinha vist aborrecido outras vezes e sabia que naquela noite não ia, de certeza, dar para entrar. Por sorte aquele café cheio de bêbados ainda estava aberto aquela hora da noite e ainda consegui comprar uma cervejita para molhar as goelas, já que aquela espera toda, apesar da chuva sempre a cair, me tinha feito sede. Estava eu a dirigir-me para outra fila noutro sítio que também gostava de conhecer um dia, quando me lembrei que tinha deixado o carro numa zona em que se começa a pagar a partir das oito da manhã. Como eu já estava a beber uma cerveja, e não seria prudente depois ir conduzir naquele estado, decidi ir por moedas no parquímetro. Estúpido, mais uma vez. Cheguei ao carro, dei um golinho na cerveja, e entrei para ir buscar a carteira ao porta-luvas, com o intuito de ver se tinha algumas moedas, já que o senhor do café dos bêbados me disse que não tinha troco de vinte e ficou-me com a nota. Estava eu à procura da carteira, quando vejo que o carro da frente está a sair. O que é que eu pensei? Vou chegar o meu carro à frente e assim deixa de estar na curva. Uma vez deixei o carro numa curva e deram-me cabo do porta-bagagem! Fechei a porta do carro, liguei-o, e como estava a segurar a cerveja com a mão esquerda, arranquei sem as mãos no volante. Às vezes gosto de passar um bocadito os limites. Faz-me sentir vivo. Azar dum raio! Não reparei que a direcção estava virada para a esquerda, e quase que saí do lugar em direcção à estrada. Como um azar nunca vem só, estava já eu a guinar o carro para a direita quando, vindo não sei de onde, um polícia me bate no vidro da janela e faz aquele sinal para eu baixar o vidro. Com a atrapalhação deixei cair a cerveja, entornei tudo em cima de mim, e deixei o carro ir abaixo! Baixei o vidro, e estava a preparar-me para dizer que estava só a, mas ele nem me deixou acabar a frase, pediu-me logo os documentos e os da viatura também. Lá soprei o balão e finalmente consegui demonstrar que não estava ébrio, só não me safei foi da multa por estar a tentar conduzir e a beber ao mesmo tempo. Tive azar com aquele chui, foi o que foi...Mas também, quem é que me mandou a mim levar o carro naquele dia? Pois, é porque aqui perto não consigo entrar em lado nenhum. Por uma razão que desconheço, embirram comigo. Tenho cá para mim que é inveja...Bom...Mas sendo assim, sem carro e com esta chuva, onde é que irá ser o fandango hoje à noite? Tenho cá uma fezada para hoje...Gosto à brava da sexta-feira, sei lá, é uma noite diferente, não sei...

4 comentários:

Anónimo disse...

Pois é...e já fizeste alguém chorar a rir :,,)))

joaninha versus escaravelho disse...

Tens que dizer ao teu "amigo" que para se safar daqui em diante tem que seguir 1 de 2 caminhos: ou passa a ser gay e até tem a sorte de deixar de pagar ou arranja namorada.
A primeira parece-me mais lucrativa. Até acho que não tarda muito vão ser feitas leis especiais para esse tipo de união, porque se virmos bem são casais que não poluem tanto o meio ambiente. Temos que pensar, por exemplo, que as mulheres com aquela cena "do período" usam pensos e tampões e que isso não é de reciclar...

Pétala disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
HR disse...

Um azar nunca vem só :)