• FIM
  • R.I.P

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Solidão, saudade, romagens, romaria aos queridos defuntos

- Ouve lá, mas quem é que estás a tentar enganar? A mim não é de certeza, isso te digo eu...
- Mas eu não te estou a tentar enganar! Eu estou só a dizer-te aquilo que penso! Por que é que julgas que eu te estou a enganar?!
-Porque sei perfeitamente como é que tu és e por isso mesmo sei que tu não podes pensar isso que me estás a dizer!
-Ai é?! Como é que podes ter assim tanta certeza que eu não penso aquilo que te estou a dizer? Alias, se eu não pensasse efectivamente o que te estou a dizer, como é que eu te poderia ter dito o que disse? Como é que eu consigo dizer alguma coisa, se não a pensar para o dizer?
-Não estejas a dar à volta à conversa! Tu sabes muito bem que podes dizer o que quer que seja sem pensares ou acreditares naquilo que estás a dizer e mesmo assim dize-lo de uma forma que consegues convencer toda a gente que acreditas realmente no que dizes. O Contrário também pode ocorrer, mas é mais difícil… … Mas diz-me, eu sei que tu não pensas realmente o que me disseste. Por que razão me estás a tentar enganar?

- Sr. ADALBERTO! O que é que o senhor está novamente a fazer?
- Olha! Tem graça! A minha mulher costumava chamar-se assim dessa forma quando estava zangada comigo a brincar mas a tentar parecer que estava zangada a sério! Quando estava zangada a sério era fácil de perceber, não me dizia nada! A menina também está zangada a brincar ou a sério?
-O Senhor não tem vergonha de estar a falar com um espelho outra vez? Quem é que lhe deu o espelho? Aposto que foi a Alice! Ela sabe muito bem que o Senhor não pode ter espelhos no seu quarto. Vou ter uma conversinha daqui a bocado com ela. Ela pensa que faz bem e só lhe está a fazer mal…
- Ó Menina, deixe lá isso… … Sinto-me tão só aqui neste quarto o dia todo... … A vista é bonita e acalma-me, mas farto-me de tudo muito depressa e tenho necessidade de falar com alguém só para afugentar o medo...
- Vamos lá Sr. Adalberto, já sabe que não pode ficar assim. Vá, deite-se um bocado que eu vou só ali buscar os seus comprimidos. Não é preciso ter medo, eu fico aqui ao pé de si, fale comigo, diga lá sobre o que é que quer falar?
- Sobre nada... Deixe lá menina, não é a mesma coisa e eu não saberia o que dizer!

2 comentários:

joaninha versus escaravelho disse...

Desconfio que o meu telefone está sob escuta. :/
Ontem tive ao telefone uma conversa, com uma amiga, sobre a solidão e estar solitário. Na vida... A diferença entre viver só e viver solitário.
Estávamos a pensar em que quando uma de nós pensasse em arranjar um quartinho num lar e idosos pediria um duplo. Para as duas...
Mas como somos as duas muito parecidas e muito teimosas, a "coisa" não ficou definitiva. :D

Que fazes tu na vida?

AP disse...

Diz que o Cavaco pensou a mesma coisa, mas acabou por ser apenas um faits divers:)

Eu, na vida, como penso que grande maioria das pessoas também, faço por viver. Umas vezes com sucesso, outras nem por isso ;)