• FIM
  • R.I.P

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Jogos físicos e psicológicos

- Podes desistir. Desta vez, e pela primeira vez, ganhei eu! Devo confessar que não estava à espera que este fosse o teu segredo! Não sabia que davas tanto significado à sexta-feira em que nos conhecemos, nem que o teu sexto sentido te fez vislumbrar uma saída que, pronunciando correctamente e com todas as palavras, te fez acreditar que tinhas finalmente encontrado o amor da tua vida! Não sabia que o sorriso rasgado com que enfeitas a tua cara todos os dias se deve à esperança que depositas em nós, nem sei que raio de ideia te passou pela cabeça para que aches mesmo que toda aquela sequência espontânea de momentos te tenha dado a certeza que os estragos que sofremos no nosso passado foram limpos a partir do momento em que nos vimos, nem que a linha do horizonte, em conjunto com as estrelas, passaram a ser os nossos limites! Finalmente percebo os teus sorrisos estampados na cara todos os dias de manhã, quando ouves os melros e sentes o sol a bater na tua cara! Tu tens a certeza que por fim fizeste a coisa certa! Fiquei mesmo contente por saber isso! E é verdadeiramente surpreendentemente para mim...

- Onde é que foste buscar essa ideia? Porque é que estás a dizer isso?

- Então?! Então?! Julgas que eu sou algum tolo é? Achas mesmo que me conseguias iludir? Um espião sabe sempre tudo minha menina, sabe sempre onde procurar e como procurar! Eu sei que tu estavas convencida que ias ganhar outra vez, mas enganaste-te! Vá, anda, reconhece a tua derrota. Conheces as regras tão bem quanto eu, por isso sabes o que tens agora a fazer...

- Não! Espera! Pára tudo! Como é que te atreveste a fazer isso? O que tu disseste agora só pode significar que estiveste a mexer nas minhas coisas! Isso é uma invasão de privacidade de todo o tamanho! Não tinhas o direito de fazer uma coisa dessas...

- AH?! O quê? Estás a falar a serio?

- CLARO QUE ESTOU A FALAR A SERIO!

- ...Desculpa... Como é que eu podia saber que não era suposto eu ler aquilo? Estabelecemos que o jogo de hoje seria sermos espiões, estava só à procura de pistas que me pudessem fazer ganhar! A ideia de nós conseguirmos encontrar um papel, escrito num código inventado por nós, com um segredo sobre a nossa pessoa, foi tua! O que é que querias que eu fizesse? Tinha de procurar em todo o lado!... Vi ali no armário, debaixo da tua roupa, aquela folha com coisas escritas por tópicos, pensei que fosse esse o teu código! Foi só juntar um mais um...Bom, realmente, agora com essa tua reacção, concluo que fui estúpido! Quando vi ali o papel, a primeira coisa que pensei foi que o teu código era tão obvio que não podia ser só aquilo! Andei horas a tentar arranjar outros significados! Fiz umas 10 folhas de anotações! Tentei ver todas as hipóteses possíveis e imaginárias para dar um significado ao que tu tinhas escrito, mas não consegui chegar a nenhuma conclusão! Como já estava cansado de pensar, desisti, e decidi dizer aquilo que me pareceu logo da primeira vez que li o papel! Depois, reli novamente o papel, e pensei que o tinhas deixado ali de propósito para eu o encontrar facilmente! Pensei que tu me querias dizer aquilo e que não tinhas coragem para o fazer, e que inventaste este jogo para eu o saber! Tu sabes que eu nunca ganho estes jogos, e eu achei que tinhas feito as coisas de propósito para que eu, pelo menos por uma vez, ganhasse um jogo...Achei tudo bem bonito, se queres que te diga, e estava só a continuar o jogo para ver se acabava como um filme do James Bond...Não fiques chateada por eu ter lido o papel...Afinal, porque é que não querias que eu tivesse lido o papel! É muito bom aquilo que está ali escrito! Fico mesmo feliz por te sentires feliz!

- Pois! Mas aquele papel não era para tu teres lido! Aquele não é o meu segredo do jogo! Estou envergonhada, não sei o que te hei de dizer...Agora sabes uma coisa que eu não queria que tu soubesses, pelo menos ainda, não queria que tivesse sido assim! Sinto-me parva! Alem disso é injusto, bisbilhotaste nas minhas coisas e agora sabes uma coisa sobre mim que eu não queria que soubesses...Tens de me dizer qual é que era o teu segredo, onde está a tua folha em código?...Deixa lá, não digas, já não quero saber....

- Não! Eu digo-te onde está a minha folha! Está na caixa do correio! Pensei que como tu nunca vês o correio que não irias encontrar a folha ali! Nem precisas de lá ir buscar a folha, eu digo-te o meu código. O código são só quatro palavras. Arame. Dor. Adolescência. Gozo.

- E o que é que isso quer dizer? Qual é o segredo?

- Usei aparelho nos dentes quando era puto, até aos 20 anos! Era este o meu tenebroso segredo! Pronto, chega deste jogo parvo, vamos...

- Pára! Para tudo! Sabes o que é que acabou de acontecer? Acabaste de perder o jogo?... É tão fácil enganar-te! És tão credulo! É por isso é que nunca ganhas jogo nenhum! Anda, confessa, tu gostas é de me ver ganhar, não é?...

- AH?! Mas...Qual é que é o teu segredo então?

- Shhhhh! Nã Nã Nã! Eu nunca disse que o jogo tinha acabado, tu é que assumiste que o meu segredo do jogo era aquele! Mas não é! Perdeste. O meu segredo, não te digo qual é...tens de o procurar e descodificar...Anda, eu ajudo-te...vou-te dizendo se estás mais ou menos quente...Podes passar o resto da noite a chamar-me Mata Hari, a rainha dos jogos sedução...Anda...James...

- Sois vil...Posso ao menos levar a pinça gigante nova?...

2 comentários:

joaninha versus escaravelho disse...

Faz como eu: vais ao "Couves" e bebes uns copos e ganhas o próximo desafio! :D
Pergunto-me a mim própria como é que, nesta altura do ano, aquele bar continua com aquela animação, como se estivéssemos em pleno mês de Agosto...
Trás aí as amigas e os amigos para conhecerem isto!
É melhor que o Bairro Alto. As bebidas são muito mais baratas! :D

AP disse...

:) Pois são! Tenho de ver se vou aí um fds destes :)