• FIM
  • R.I.P

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

I got ID

- Se há coisa que os filmes Americanos, aqueles dirigidos aos teenagers rodados mais para o final da década de oitenta, me ensinaram para a vida, foi o de conseguir respeitar, sempre, os nerds! Desde puto que sinto, quase que automaticamente, uma empatia por eles! Uma coisa inexplicável que me impede de gozar ou dizer mal! Em todos os casos, descobri depois, invariavelmente, que são todos e todas, como agora é moda dizer, pessoas porreiras!...

- Desculpa lá! Tu tens olhos na cara? Espelhos? Tu já olhaste bem para ti? Já viste bem o teu aspecto? Já olhaste bem para aquilo que fazes e, principalmente, para aquilo que dizes? Não penses que és um outsider meu amigo! Isto para usar uma palavra estrangeira já que tu usaste duas! Tu és daqueles que permaneceu a vida toda entre os da sua espécie! Tirando um ou dois casos de pessoas que conheces, onde eu me incluo, obviamente, não conheces outro tipo de pessoas para além de outros nerds!...dois a dois…Tem graça no entanto teres dito isso…Sinto exactamente essa empatia de que falas em relação aos nerds! Atribuo, inclusive, a nossa longa amizade a isso…

- Graça tem é teres acabado de dizer o que disseste! Estava eu aqui a efectivar um preâmbulo, que tinha imaginado para introduzir na nossa conversa, onde finalmente explicaria o motivo pelo qual te conheço, e eis que tu me dizes isso primeiro! Achas que somos nerds? Como é que podemos saber se somos mesmo nerds? E se afinal não formos nerds, formos pessoas normais que só conhecem outras pessoas normais? Como é que sabemos se existem nerds? Ou será que só conhecemos nerds? E se for ao contrário e formos todos nerds? Será que existem pessoas normais? Como é que sabemos distinguir uma pessoa normal se só conhecermos nerds? Achas que se formos pessoas normais os nerds não se dão connosco porque pensam que nós não somos do tipo que se dá com os nerds? Ou achas que só há pessoas normais e extraordinárias, não existindo nerds? Ou existem todo o tipo de pessoas, sendo cada um o que quiser ser, mesmo que outro o veja como uma pessoa completamente diferente da que ele pensa? Não achas que se assim for, provavelmente só existem pessoas normais?

- Não! Tu és um nerd e foi por esse motivo que eu me comecei a dar contigo! É a tal empatia inexplicável por nerds de que falavas há pouco, mesmo que depois eu venha sempre a descobrir que são pessoas, de facto, porreiras…

8 comentários:

joaninha versus escaravelho disse...

Eu não sou nerd mas depois de ler isto só penso no que será uma pessoa normal.
Acho que sei o que é um nerd.
Uma pessoa extraordinária... ainda lá vou. Agora dizer o que é uma pessoa normal...
Não está fácil...
Acho que não conheço pessoas normais.
:/

AP disse...

Sendo assim, entra-se então no campo da discussão filosófica sobre o que é uma pessoa normal. :)

joaninha versus escaravelho disse...

Filosófica e não só. Além de termos que considerar as atitudes sociais também devemos analisar os "tiques" físicos ou aqueles verbais, tipo "muletas"...
Muito há a descontar na personalidade de alguém.
Eu até sou de engenharia e nem tenho sensibilidade para isso. :D
Começa tu. :P

AP disse...

:) Pois, eu acredito que o normal é só um conceito que difere de pessoa para pessoa. Por isso, para mim, toda a gente é normal, ou então toda a gente é anormal :)

joaninha versus escaravelho disse...

Estás a dizer então que um punk, um emo, um nerd... são pessoas "normais" e que os "diferentes" são só os anormais? Os ditos "deficientes mentais"?
Mas o conceito de normal está definido em dicionário.
Anormal é o que foge à norma. Digo eu...
Eu só gostava de saber o que é normal.
É usar fato de saia e casaco? E na versão masculina usar gravata?
Sabes que esta conversa não nos leva a lado nenhum, não sabes? :D

AP disse...

Estou a dizer que toda a gente ou é normal, ou então toda a gente é anormal. Isto porque, para além de esta conversa não nos levar a lado nenhum, o que para mim poderá ser normal para ti poderá não ser e vice-versa. É por isso que eu penso que o conceito de normal muda sempre de pessoa para pessoa, de cultura para cultura, etc.
Por exemplo, uma norma "instituída" é apenas as mulheres usarem saia, mas os escoceses também usam saia e eles não são anormais por causa disso! Acho que no fundo a norma é o que a maioria das pessoas faz em comum, mas nada disso quer dizer que quem não faz o mesmo que a maioria seja anormal no sentido de ser atrasado ou esquisito, no fundo está só a ser diferente. Como todos nós somos de facto diferentes uns dos outros, todos somos normais à nossa maneira :)

joaninha versus escaravelho disse...

Só tentei desconversar mas tu estás de acordo comigo... :D
Gostei deste bocadinho. :/

AP disse...

;)