• FIM
  • R.I.P

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

O tempo que passa não passa depressa. O que passa depressa é o tempo que passou - “Virgílio Ferreira”

- Foda-se, estamos aqui há horas. Já viste as horas que são? Estamos aqui há horas e ainda nada. Quando é que ela vem? Não tínhamos combinado encontramo-nos aqui às 3 da tarde? Já viste as horas que são? Foda-se, são 6 e meia e ainda aqui estamos. Estamos aqui há horas… …

- Já viste como é que tu és? Estamos aqui há horas, é verdade. É também verdade que ela devia ter chegado às 3 da tarde e já está atrasada à brava. Mas por que é que demoraste 3 horas e meia a desatinar? Se já estamos aqui há 3 horas e meia, por que é que ainda estás aqui, por que é que não foste já embora?

- Pronto, lá começas tu com as tuas merdas. Se eu tivesse dito ao fim de 10 minutos, 20 minutos ou 1 hora, que me ia embora, começavas logo a dizer que eu sou sempre a mesma coisa, que eu sou um stressado do caraças, que ando sempre cheio da pressa, trá lá lá, trá lá lá. Desatino ao fim de 3 horas e meia, repara 3 horas e meia e tu perguntas-me por que é que eu não me fui embora, quando a questão aqui é por que é que ela ainda não chegou?

- Eu não estou a começar nada. Aquilo que eu te estou a dizer é que, quando aqui chegamos, sentaste-te e disseste de imediato que aqui se está muita bem. Pediste logo 2 cervejas para nós e começamos a falar. Apreciámos várias vezes a paisagem à nossa volta, falamos sobre diversas coisas, bebemos mais umas cervejas e viste por fim que são 6 e meia. A minha pergunta é então a seguinte. Dás estas 3 horas e meia como um tempo que foi aproveitado, ou como um tempo que foi perdido?

- E dizes tu que não estás com as tuas merdas, nã, nada disso. Quando aqui chegamos, não te esqueças que estás aqui há tanto tempo quanto eu, eu realmente apercebi-me que isto aqui é um sitio muita baril para se estar. Nunca aqui tinha vindo, não conhecia isto e acho que é muita baril beber aqui umas cervejas. Mas tens que concordar que nós viemos aqui porque a tua querida combinou connosco aqui às 3 da tarde, não te esqueças disto. Ela combinou aqui às 3 da tarde. Se ela tivesse chegado aqui, sei lá, ela chega sempre atrasada eu sei, mas se tivesse chegado aqui por volta das 3 e meia, 4 horas, provavelmente tínhamos ficado aqui na mesma a falar, mas já não havia a falta de respeito da parte dela que está neste momento a acontecer, nós estamos aqui há 3 horas e meia à espera da tua querida, isso é que me está a lixar. Eu não espero por ninguém 3 horas e meia.

- Bom, então não estás a desatinar por estar aqui há 3 horas e meia, estás a desatinar por estarmos aqui há 3 horas e meia sem ela ter chegado, caso ela tivesse já chegado não pões de lado a hipótese de nós ainda estarmos aqui na mesma, como agora estamos, só que sem ela. À parte da falta de respeito que achas que ela está a cometer, não tens mais nenhum problema em estar aqui, é isso?

- O que eu sei, é que combinamos aqui às 3 da tarde, são 6 e meia e népia, ainda aqui estamos à espera da tua mulher, tal como tinha sido combinado às 3.

- Sim, já disseste isso, mas já chegámos à conclusão que apesar disso, foi muito bom termos estado aqui a falar e a beber umas cervejas enquanto esperávamos. Aliás, foi tão bom que só notámos que a Clara está atrasada 3 horas e meia, quando nos demos conta disso. Estás chateado então porquê? Porque passou o tempo e tu achas que não fizeste nada, ou porque aquilo que tu fizeste não te fez ter noção do tempo?

- Foda-se tanta merda só para desculpares a tua mulher?

- Não, tanta merda para quê, pergunto eu? Porque é que só ao fim de 3 horas e meia é que te lembras de desatinar? Eu admitia, caso tivesse acontecido, que tinhas razão se nós estivéssemos aqui este tempo todo e tu me perguntasses de 10 em 10 minutos pela Clara. Aquilo que não consegues ver é que estás a desatinar por desatinar, porque tu, como de costume, tens que stressar por alguma coisa, tens que tornar sempre as coisas desagradáveis, não consegues nunca desligar o stressometro um bocado e desfrutar o, ou os momentos que passas com as outras pessoas. O que te está realmente a lixar a cabeça é o facto de tu não teres dado pelo tempo passar, lixa-te o facto de repente te teres apercebido que passaram 3 horas e meia. Passaram 3 horas e meia da tua vida que tu não contabilizaste, 3 horas e meia que tu não tiveste pressa para ir fazer, não sabes bem o quê, 3 horas e meia em que o tempo passou. É disso que tens pena? Achas que aproveitas melhor o tempo que passa se o contabilizares, ou achas que se contabilizares o tempo ele não passa?

- Bom, só te vou dizer isto, para não te mandar já à merda. Às 7 se a Clara não tiver chegado vou-me embora.

- Tenho uma boa e má noticia para ti. Qual é que queres saber primeiro?

- Se tens alguma coisa para dizer, diz, mais uma seca das tuas é que não… …

- OK, as más noticias é que deixaste passar mais meia hora da tua vida sem teres dado por isso. As boas é que são 7 da tarde e a Clara não chegou. Podes ir embora. Eu fico aqui à espera dela.

- Então e como é que bazam depois?

- Nós depois vemos, logo se há de arranjar alguma coisa… …

- Não, eu fico aqui contigo à espera e depois levo-os, agora já perdi mesmo este tempo todo, já agora fico aqui até ao fim. Não percebo é como é que vocês conseguem ser assim, dass… ….

- Nem eu percebo como é que tu consegues ser assim. Acho que somos mesmo assim.
E olha, aí vem a Clara, vamos embora… …

- Finalmente…

2 comentários:

joaninha versus escaravelho disse...

Pensei neste teu texto este fim de semana enquanto esperava...
Já agora para não ir lá acima postar no outro, não querias escrever neblina em vez daquilo que lá está? Ou é a minha incultura?

AP disse...

:) Sim, com efeito é assim que se escreve neblina. Alias, no video o Tim até diz neblina de uma forma bastante clara.
Só que neste caso, o Tó pensa que é assim que se diz neblina. Há uns anos atrás estraguei por completo o imaginário de um amigo quando lhe disse que não é o orelhas mas sim o areias é que é um camelo. Desta vez não quis correr o mesmo risco ;)