• FIM
  • R.I.P

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Banda Sonora

O Tó:

E quando eu descobrir o segredo, da nebelina cinzenta, que torna a água barrenta, e sem perdão me esmaga o peito

Consigo escrever a história da minha vida com todas as músicas dos Xutos, é isto que eles representam para mim! Gosto de os ouvir há 19 anos, tenho histórias infindáveis sobre os concertos e as viagens que fiz para os ir ver. Ir ver os Xutos sempre foi um pretexto para ir viajar para qualquer lado e curtir a sério todos os momentos do início ao fim da viagem. Sem medo e sem planos era o único plano e ao mesmo tempo o único limite que havia nessas viagens e nos concertos que ia ver!
A quantidade de vezes que fiquei preso naquele momento em que tudo aconteceu e mudou a minha vida para sempre! Aqueles momentos em que as pessoas fazem tudo ao seu alcance para poderem dizer, se eu pudesse ter feito assim, se eu não tivesse ido lá naquele dia, se eu não tivesse dito isto! Nunca dei um passo, que fosse o correcto, eu nunca fiz nada, que batesse certo! Foi ao som dos Xutos que me apercebi da vida que tive e tenho, foi com eles que descobri a vontade de apanhar novamente o barco mesmo quando estava quase a ficar com o peito quase esmagado!

O Fred

Quando, eu apanhar finalmente o barco para a outra margem

Há dias em que não tenho vontade de fazer nada! Há outros em que apenas me apetece ficar deitado na cama a olhar para o teto! Fiquei assim de há quase 2 anos para cá! Dantes, quando o tempo corria lento, (gosto sempre de usar esta suposta piada (risos)) era o riso rasgado do Tim e a força do Kalu que me faziam pular e gritar como um puto num concerto qualquer deles. Fui a todos na zona de Lisboa nos últimos 6 anos, o guito não dá para mais e um gajo infelizmente tem outras coisas para fazer. Tenho os discos todos deles gravados em cassetes e em CD’s também! Tenho medo de os perder. Gosto de pensar que um dia vou ser feliz outra vez e que vou finalmente ouvir com a mesma alegria que um dia tive, os discos e os concertos dos Xutos, só mais uma, só mais esta vez!

O Manel

Terei, terei mais uma vez a força, para enfrentar tudo de novo

O que é que um gajo tem a perder depois de já ter perdido tudo o que interessa verdadeiramente? E quem é que disse a um gajo que realmente perdeu tudo o que interessava verdadeiramente? Quem é que diz a um gajo que não está tudo apenas na nossa cabeça e que afinal o que interessa realmente ainda não é conhecido pela gente? Eu cá não pá, eu cá não me vou ficar a chorar por cima do leite derramado, um gajo tem é que andar pra frente, porque pra frente é que é Lisboa! Já não sei se é nostalgia, se é das cenas pra dormir, há quem grame a porcaria, há quem foda sem se vir! Se os Xutos se tivessem separado cada vez que tiveram lá os dissabores deles onde é que eles já iam pá? Um gajo tem é que lutar e enfrentar tudo, a força tá na gente e querer muito é poder, são os gajos que o dizem! E eu acredito! E já agora só mais uma coisinha, o que é que eu iria ser, o que é que eu iria ter, n’America… …

O Chico

Longa se torna a espera

Quem espera sempre alcança, e quem guarda acha, é o meu lema! Quem guarda acha porque as memorias são a arma mais importante que temos, para poder dar o sentido que queremos à nossa vida. Sem floreados sem nada, a nossa vida pura e dura tal como nós a desenhámos. Quem espera sempre alcança, porque tal como diz a música, a espera pode tornar-se longa, mas quanto maior for a espera, maior é a sensação de prazer quando finalmente se alcança o momento desejado. Sempre, sempre à minha maneira, não pode ser doutra maneira, sem esperança e sonho não há hipótese da espera terminar, e nós, só queremos que a espera seja no máximo dos máximos longa, não infinita! Quero-te, como ultimo desejo da nossa vida… …

Sem comentários: