• FIM
  • R.I.P

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Banda Sonora

Tenho saudades do teu sorriso irónico. Da tua cara marota quando estavas a ser sarcástica, e da tua cara de espanto quando algo te surpreendia genuinamente. Tenho saudades de te ver andar pela rua com o teu ar despreocupado, e de te ver olhar para os edifícios, por onde passas todos os dias, sempre com o mesmo olhar de prazer. Tenho saudades de te ver conversar descomplexadamente, sem te preocupares com o que possam pensar sobre o que pensas e sentes, e de te ver defender, acerrimamente, os teus pontos de vista, por muito disparatados que fossem. Tenho saudades da cara feliz que fazias quando o Sol brilhava de manhã, do gozo que te dava quando pensavas que estavas num sítio inundado de árvores, de flores e silencio, ou então cheio de pássaros de várias cores e feitios a cantar alegremente, e de te ouvir dizer que a coisa mais casual ou normal do mundo era um sinal divino qualquer que evidenciava quão correctas estavam todas as opções que tomavas. Tenho saudades de partilhar uma garrafa de vinho tinto contigo, de irmos jantar a uma tasca qualquer ou então à mesma de sempre, e de ficar horas a divagar sobre o esforço que é necessário fazer para fechar ou abrir um casaco, quando se sente a necessidade urgente de tal acção. Sinto saudades das conversas que mantínhamos em silêncio, bastando apenas olhar para ti. Do teu toque e de te tocar. Da tua pele branca, repleta de sinais, todos eles excitantes e dispostos de uma forma que nem Deus, se existisse, saberia como teria feito tamanha perfeição. Sinto falta do teu aroma hipnotizante, da forma como fazias sempre com que eu ficasse inebriado a olhar para ti, tendo sempre plena consciência que me estavas a endrominar para que a tua vontade fosse satisfeita. Tenho saudades do teu corpo, do teu cabelo, das tuas unhas cortadas muito rentes, e de te ver acordar. Tenho saudades de saber que te conseguia satisfazer sem que tivesse de fazer nada por isso, de ouvir musica contigo e de dançarmos sem ser preciso mexermo-nos. Tenho saudades dos jogos para miúdos que jogávamos quase sempre, e do teu jogo de sedução implícito em todos os movimentos que fazias. Tenho saudades de saber que sabias que me davas prazer só de olhar para ti e de saber que isso também te dava prazer. Tenho saudades de te recordar, com mensagens parvas, a necessidade de não te esqueceres de fazer qualquer coisa importante. Tenho saudades de pensar que adiantava ter-te dito tudo isto, que adiantava ter dito tudo aquilo que sinto e tudo aquilo que tinha vontade de fazer e dizer, e que isso, e só isso, fosse o bastante para que não fosse, nunca, preciso dizer-to.

Yes I understand that every life must end, aw huh,..
As we sit alone, I know someday we must go, aw huh,..
I’m a lucky man to count on both hands
The ones I love,..

Some folks just have one,
Others they got none, aw huh,..

Stay with me,..
Let’s just breathe.

Practiced are my sins,
Never gonna let me win, aw huh,..
Under everything, just another human being, aw huh,..
Yeh, I don’t wanna hurt, there’s so much in this world
To make me bleed.

Stay with me,..
You’re all I see.

Did I say that I need you?
Did I say that I want you?
Oh, if I didn’t now I’m a fool you see,..
No one knows this more than me.
As I come clean.

I wonder everyday
as I look upon your face, aw huh,..
Everything you gave
And nothing you would take, aw huh,..
Nothing you would take,..
Everything you gave.

Did I say that I need you?
Oh, Did I say that I want you?
Oh, if I didn’t now I’m a fool you see,..
No one know this more than me.
As I come clean.

Nothing you would take,..
everything you gave.
Hold me till I die,..
Meet you on the other side.

Pearl Jam - Just Breathe

3 comentários:

joaninha versus escaravelho disse...

Oh pá, tu escreves mesmo bem! :D
Emocionei-me...

Tindergirl disse...

É o amor...

AP disse...

:) Obrigado!

Como alguém disse, o amor era verde. Veio um burro e comeu-o. ;)